Saúde de A a Z: Câncer de pele

Postado por FAMESP em 15/02/2021 em NOTÍCIAS | Comentários desativados

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), anualmente, são diagnosticados 180 mil casos de câncer de pele no país. A médica dermatologista Selene Estela Sierra Camargo, da equipe do Hospital Estadual de Bauru (HEB) – unidade sob gestão da Famesp -, explica que os principais sinais de alerta para a doença são manchas ou pintas de tamanho irregular, bordas irregulares, alteração no tamanho e alteração na cor. No verão, os riscos para a saúde da pele são ainda maiores, já que muita gente se esquece dos cuidados na hora de pegar uma piscina e se expor ao sol em outras situações. Confira, a seguir, as orientações da especialista.

Doutora, quais as ações preventivas e cuidados com a pele, especialmente no verão?
Selene Estela Sierra Camargo - O verão é uma estação mais gostosa, que todo mundo espera com muita ansiedade. A maioria das pessoas programa férias no verão. É uma estação alegre, que convida as pessoas a saírem mais, terem encontros ao ar livre, geralmente, então costumam ir para praias, fazendas, lugares mais abertos. Mas também nossa pele fica mais exposta.
Então, os cuidados que precisamos ter inicialmente seriam: manter uma boa alimentação e hidratação adequada.
Em relação aos alimentos que ajudam na prevenção aos cuidados com a pele, que protegem contra a radiação solar, são aqueles que contêm carotenóides, como cenoura, mamão, beterraba, manga, alimentos de cores mais fortes e intensas, assim como as folhas verdes de tons mais escuras... Eles seriam protetores naturais. A hidratação também é muito importante e o uso de protetor solar diariamente.



Há fototipos de pele com maior probabilidade para a doença?
Selene Estela Sierra Camargo - Há 5 fototipos de pele, o 1, 2, 3, 4, e 5.

O fototipo 1 é a pessoa muito branca, que nunca vai bronzear, se ela se expor ao sol vai ficar vermelha, vai queimar, mas nunca vai ficar bronzeada, morena. São aquelas pessoas de pele muito branca, loiras, ruivas, de olhos claros... No Brasil dificilmente vamos encontrar o fototipo 1 clássico.

O fototipo 2 já é uma pessoa clara e o fototipo 3 é uma pele clara devido a misturas raciais, é uma pele clara mas que já pode dar uma pequena bronzeada, é o fototipo que mais podemos encontrar aqui no Brasil. O fototipo 4 é o moreno. E o fototipo 5 são os negros.

Geralmente as pessoas entre os fototipos mais baixos são as que tem mais predisposição, com o tempo, com a idade, a desenvolver câncer de pele. Então, sempre que pacientes com fototipos mais baixos, mais claros, comparecem ao consultório a gente orienta com relação aos cuidados à exposição ao sol, porque a tendência deles desenvolverem câncer de pele é muito maior do que os fototipos mais altos, como 4 e 5.

Quais cuidados são essenciais para a exposição solar com segurança e proteção?
Selene Estela Sierra Camargo - A gente sempre orienta uso de protetor solar ou bloqueador solar, tanto físicos como químicos, principalmente as pessoas de fototipos mais baixos, como 1, 2 e 3, e pessoas que trabalham expostas ao sol, como carteiros, pessoas que trabalham na construção civil, na área rural, precisam sempre usar protetor solar ou meios de proteção apropriados.

Fator 30
Sempre orientamos o uso de protetor solar a partir do 30; do fator 30 pra cima eles vão produzir um certo bloqueio ou uma proteção contra os raios UVA e UVB (raios ultravioleta nocivos à saúde), que são os raios que conseguem atravessar a camada de ozônio e atingir a pele do ser humano e que numa exposição crônica, não apropriada, podem causar câncer de pele.

Protetores físicos
Outros meios além dos protetores solares químicos seriam os físicos. Já vendem roupas com proteção solar que ajudam a evitar, no futuro, a produção ou aparecimento de câncer de pele.

Horário do sol
Outra coisa que a gente orienta é evitar se expor ao sol nos períodos mais quentes, especialmente entre 10 horas da manhã e três da tarde. Nesse período os raios UVA e UVB atingem com maior intensidade a Terra. Então, a orientação sempre é se expor com muita precaução, usando os protetores solares apropriados.

Atenção: horário mais crítico é o mesmo de produção de vitamina D
Também tem o problema em relação à vitamina D, pois é justamente no período de grande intensidade dos raios UVB na Terra (entre 10h e 15h) que esse principal aliado age produzindo a vitamina D.

Mas uma exposição curta, de aproximadamente uns 15 minutos por dia, nesse período entre 10h e 15h, é suficiente para a produção da vitamina. No restante do tempo deve-se usar protetor para evitar o câncer de pele.

_________
LEIA TAMBÉM:
https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/cancer-de-pele-saiba-como-prevenir-diagnosticar-e-tratar

(Assessoria de Comunicação e Imprensa da Famesp)